×

Anderson pede que vice do Nordeste fique para trás: O Vasco não quer saber disso


Anderson pede que vice do Nordeste fique para trás: O Vasco não quer saber disso

Após três dias de folga, o elenco do Bahia retornou aos trabalhos na tarde desta quarta-feira, depois do empate com o Sampaio Corrêa, que deu ao time maranhense o título da Copa do Nordeste. Na entrevista coletiva do goleiro Anderson, realizada antes do treinamento, o clima era de melancolia.

Querido entre os companheiros de equipe e pela torcida, Anderson costuma ser reconhecido por seu papel de liderança. Costuma ser um dos responsáveis por motivar o grupo antes dos jogos, sobretudo em decisões. Mas agora a missão é outra: passar por cima da situação difícil e focar no jogo contra o Vasco, pela Copa do Brasil, marcado para a próxima segunda-feira, em São Januário. Para o jogador, este é o momento, mais do que nunca, de apoiar o time.

- Se depender de mim, sei que vou motivar todos a todo instante, todos me conhecem, sabem o que sou e o que faço, dentro ou fora de campo, jogando ou não. Hoje estou jogando. A gente sabe que não pode ficar assim. Futebol não dá chance para isso, baixar a cabeça, lamentação, chegar desmotivado. Falei para eles, ri um pouco na chegada, os caras ainda estão preocupados com a torcida, que sofreu bastante, vi gente chorando. Falei para eles, temos que ter tranquilidade, a torcida do Bahia não merece o que aconteceu sábado, mas o Vasco não quer saber disso. Se a gente não se preparar, vai encontrar dificuldades. Mas hoje vamos trabalhar e nos preparar para essa partida - afirmou.

Provável titular contra a equipe carioca, já que Douglas ainda se recupera da lesão no cotovelo, Anderson pede cuidado com a equipe de Jorginho, treinador que passou pelo Bahia na segunda metade de 2017. Para o jogador, a receita para sair com a classificação do Rio de Janeiro é jogar de maneira inteligente. Isto é: não pode esperar o Vasco durante o jogo.

- A gente tem que jogar para cima, não pode esperar muito a equipe do Vasco. A gente conhece o Jorginho, sabe que a equipe dele busca ter a posse de bola a todo momento para sair jogando e chegar no ataque. É marcar lá em cima, fazer o que o professor vem pedindo e buscar vencer.

Como venceu o primeiro confronto por 3 a 0, uma derrota por até dois gols de diferença garante a classificação ao Tricolor. Em caso de 3 a 0 para o adversário, a vaga será decidida nos pênaltis. Bahia e Vasco jogam nesta segunda-feira, às 20h (horário de Brasília), em São Januário.

Confira outros trechos da coletiva:

Virar a chave
- Difícil, mas a gente sabe do nosso potencial. Queríamos vencer, principalmente pela torcida, a festa que fizeram. Vai ficar marcado, não positivamente porque a gente não conseguiu vencer o Sampaio Corrêa. Mas futebol não dá tempo de lamentações. Segunda-feira tem uma decisão contra o Vasco. É outra competição, mas podemos chegar.

Calma para prosseguir na temporada
- Tranquilidade eu digo que é uma coisa que não falta. Falta a bola entrar mesmo. O professor trabalha isso no dia a dia, cobra bastante dos jogadores da frente. Temos grandes jogadores. O Gilberto será liberado, é um grande jogador, joguei com ele no Santa Cruz. É ter tranquilidade. Sei que é difícil, a torcida vai cobrar, mas jogar em time grande é isso, tem cobrança todo dia.

Lições com o revés
- De lição positiva fica a equipe que entrou, o time teve momentos que se propôs a jogar, eles souberam se defender bem, a gente ficou martelando e não conseguiu furar o bloqueio deles. A gente ficou muito triste por causa da torcida. Eles mereciam muito mais do que a gente. Temos que ter tranquilidade, não vamos nos desesperar. Segunda-feira temos um jogo muito importante. Temos que virar a chave.

Autor: ,postado em 01/07/2018


Comentários

Não há comentários para essa noticia

Mande uma Resposta