×

Defesa do Vitória muda de patamar e vira ponto forte com chegada de Mancini


Defesa do Vitória muda de patamar e vira ponto forte com chegada de Mancini

O rótulo de pior defesa do Campeonato Brasileiro não pertence mais ao Vitória. Após dividir o posto com a Chapecoense, na 16ª rodada, o Rubro-Negro conseguiu subir de produção e deixou o ingrato título para trás. E o técnico Vagner Mancini, que completou recentemente duas semanas de trabalho na Toca do Leão, é apontado como um dos principais responsáveis pela evolução.

Desde que o treinador assumiu o comando da equipe baiana, foram três partidas e apenas um gol sofrido – contra a Ponte Preta, em chute de fora da área. É a melhor série defensiva do Vitória na competição nacional. O desempenho virou motivo de comentário de Mancini após o triunfo por 2 a 0 sobre o Flamengo, no último domingo, no Rio de Janeiro.

- Importante falar sobre o sistema defensivo, que se comportou muito bem. Tomamos apenas um gol nesses três jogos, num chute de fora da área que poderia ter sido evitado. É importante quando você quer escapar [do rebaixamento], que a defesa te dê segurança, porque é o equilíbrio de todo o time. A tua parte defensiva tem que passar o que estou vendo nos jogos, que é uma segurança capaz de proporcionar uma posição boa.

Antes de Mancini ser contratado, o Vitória acumulava, em todo o Brasileiro, apenas três jogos sem ser vazado. Com o treinador, o número subiu para cinco. Atualmente, a retaguarda rubro-negra aparece como terceira pior da competição, empatada com a do Vasco, com 30 sofridos. O Atlético-GO, vazada 34 vezes, e a Chapecoense, 33, possuem as piores defesas da Série A.

- Mancini procurou dar uma atenção especial ao sistema defensivo desde a sua chegada. Ele nos deu confiança e deu um equilíbrio tático à equipe. Foi muito importante isso. A consequência foi a evolução que tivemos neste sentido. Tomamos um gol apenas, nas três últimas partidas, contra equipes muito fortes. Temos que manter isso até o fim agora – disse o zagueiro Kanu ao GloboEsporte.com.

A produção defensiva do Vitória nos últimas três jogos foi uma das melhores do Brasileiro no período. Somente Cruzeiro e Atlético-PR, que não foram vazados entre a 17ª e a 19ª rodada, tiveram desempenho superior. O destaque é ainda maior se a comparação abranger apenas equipes que lutam contra a zona de rebaixamento. São Paulo e Avaí, por exemplo, sofreram sete gols nas partidas que encerraram o primeiro turno. Os goleiros da Chapecoense e do lanterna Atlético-GO precisaram buscar a bola no fundo das redes em cinco oportunidades.

A recente solidez defensiva do Vitória gera questionamentos. O que Mancini fez de diferente para elevar o rendimento no setor? A convicção sobre a titularidade dos jogadores de defesa é um dos fatores que ajuda a explicar o bom desempenho. Nos primeiros dias, o técnico promoveu testes em todo o elenco, mas, logo na primeira partida, definiu Wallace e Kanu como responsáveis pelo combate aos atacantes adversários. Os dois atuaram juntos nos três jogos desde a chegada do técnico, regularidade que contrasta com o restante da competição, quando sete duplas de zaga foram utilizadas ao longo de 16 rodadas.

- Mudamos a atitude também. Foi importante isso. Conversamos bastante para buscar uma melhora em relação a tudo que estava acontecendo. O time praticamente não mudou. Vamos continuar pensando jogo a jogo e chegaremos aos nossos objetivos - avaliou o zagueiro Kanu.

Para a partida contra o Avaí, no sábado, às 19h (de Brasília), a formação defensiva adotada pelo técnico será desfeita. Wallace está suspenso pelo terceiro amarelo e não atuará na primeira rodada do returno da Série A. Bruno Bispo, que chegou a ser afastado do elenco principal na atual temporada, deve ser a aposta do treinador. Chance para o Vitória provar que, independente das peças, realmente mudou de patamar defensivo.

Autor: ,postado em 12/08/2017


Comentários

Não há comentários para essa noticia

Mande uma Resposta